Transtorno de Acumulação

Definição

O transtorno de acumulação é caracterizado pela dificuldade persistente de descartar ou se desfazer de pertences, independentemente de seu valor real. Isto se dá em consequência de uma forte percepção da necessidade de conservá-los e do sofrimento associado ao seu descarte.

 

Características do transtorno de acumulação

É importante dizer que esse transtorno se diferencia do colecionador normal. Por exemplo, os sintomas do transtorno de acumulação resultam na acumulação de inúmeros pertences que congestionam e obstruem áreas em uso até o ponto em que o uso pretendido é substancialmente comprometido.
Assim, a pessoa poderá ter o seu quarto ou mesmo toda a residência, cheia de utensílios considerados inapropriados.

A forma de aquisição excessiva do transtorno de acumulação caracteriza a maioria, mas não todos os indivíduos com o transtorno (80 a 90%).
Ela consiste no acúmulo excessivo, compra ou roubo de itens que não são necessários. Isso inclui panfletos, objetos descartados por outros – ou para os quais não há espaço disponível.

Roubar é menos comum.
Algumas pessoas podem negar a aquisição excessiva quando são avaliados inicialmente, embora mais tarde ela possa aparecer durante o curso do tratamento. As pessoas com transtorno de acumulação geralmente experimentam sofrimento se não conseguem ou são impedidas de adquirir itens desejados.

 

Principal referência bibliográfica:

Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – DSM 5
American Psychiatric Association