Neurofeedback no Esporte e seus benefícios

Neurofeedback no Esporte

O Neurofeedback no esporte torna-se um ótimo recurso para atletas que desejam melhorar seu rendimento, ou seja, sua performance. Como dito nesse post, treinamento cerebral potencializado pelo Neurofeedback é capaz de trabalhar as ondas cerebrais e modificar comportamentos. Ou seja, suas aplicações são extensas além do esporte.

 

No contexto esportivo, seus principais benefícios incluem:

De tal maneira, isso explica porque atletas (amadores e de alto rendimento) vêm aderindo cada vez mais ao recurso do Neurofeedback – geralmente assistidos por psicólogos do esporte e coaches esportivos.

Entretanto, cada atleta deve receber uma abordagem específica direcionada, pois até mesmo a modalidade esportiva que pratica influencia no tipo de treinamento mental a ser desenvolvido.

De uma maneira geral, os métodos envolvem sons, imagens, filmes e jogos que estimulem seu aparelho mental. Tudo irá depender do caso do atleta (idade, modalidade esportiva, perfil psicológico, adesão à abordagem, etc.).

 

Metodologia e número de sessões

Devemos lembrar que não basta fazer os exercícios de Neurofeedback de forma aleatória e sem supervisão técnica – seja para qual situação for. A disciplina e o comprometimento são indispensáveis, o que se traduz em um número ideal de sessões a serem realizadas (geralmente em torno de 10 sessões).

Ainda assim, alguns estudos chegam a recomendar entre 30 e 40 sessões, que, apesar de não serem longas quando realizadas, requerem uma periodicidade sustentada. Essa estimativa varia muito entre as pessoas, pois inclui uma série de variáveis – desde a indicação, objetivo e gravidade do quadro. Ou seja, cada caso deve ser individualizado e conduzido por profissionais devidamente habilitados para usar o Neurofeedback!

Neurofeedback no esporte 2 - Neurofeedback no Esporte e seus benefícios

Dr. Helio Fádel
Psiquiatra Clínico e do Esporte